Moema Conta: choque de natureza e romantismo na Pousada Patacho

  • Lua-de-mel praiana na pousada Patacho!
    Lua-de-mel praiana na pousada Patacho!
  • Restaurante aconchegante
    Restaurante aconchegante
  • Rústico chic praiano!
    Rústico chic praiano!
  • Varanda climinha
    Varanda climinha
  • O paraíso deve ser aqui
    O paraíso deve ser aqui
  • Love is all we need...
    Love is all we need...

Por Moema dos Reis

Fomos recebidos com muita simpatia na pousada Patacho, inclusive foi único local que nos ofereceu um drink de boas-vindas (e no último dia, mais um de despedida). Eu adoro elogiar quando realmente gosto do que vi/senti/provei e preciso deixar claro que não sou uma pessoa fácil de se agradar. Mas esse post será recheado de adjetivos muito positivos. Vejam que essa foi a minha experiência, pode ser que você não se encante como eu, mas realmente acho difícil.

Desacelerando

No início tive um choque de natureza, cadê a TV com a programação que eu gosto? Não tem! Como assim? É isso, vai ficar em silêncio ou pode conversar com seu par, com outros hóspedes, com os funcionários, mas esquece a TV e a internet! Tem vários DVDs para quem quiser pegar e até existe Wi-Fi, mas pega muito mal nos quartos e no restaurante. Claro que tentei na pousada toda e achei o melhor sinal na praia!

Foi o lugar ideal para nos desacelerar e nos tranferir para um tempo diferente, do interior, que passa bem devagar, onde conseguimos observar pequenos animais, as ondas, pensar na vida ou esquecer nossa rotina.

À noite o legal é ficar no deck olhando as estrelas e a dica do Christian, o francês super simpático dono da pousada, é entrar no mar à noite. Se for lua cheia então, fica perfeito, tanto de dia quanto à noite, até por causa da maré que é mais alta e mais baixa nas luas cheia e nova, ou seja, tem uma grande variação no dia. Outra coisa que descobri: são duas marés altas e duas marés baixas por dia – eu não sabia. Aprendi muito sobre as marés nessa viagem porque quase todos os passeios são baseados em seus níveis (confira a tábua das marés antes de se programar). Para ver as piscinas naturais, quanto mais seca, melhor.

Gula

Nossa diária incluía café da manhã (o melhor!) e sopa ou salada no jantar, mas acabamos experimentando outros pratos famosos no local, com destaque para o camarão ao requeijão. As caipirinhas frozen foram um sucesso, principalmente as de graviola e mangaba, continuamos fazendo aqui em casa.

Quartos

Ainda não falei do cenário incrível que é a Pousada. Tudo muito lindo, em harmonia com a natureza. Tirei muitas fotos, queria guardar aquelas imagens para sempre! Não é um luxo certinho, é “rústico-chique” e cheio de detalhes. Ficamos no quarto “sereia“, mas acredito que o “colibri” também seja ótimo. O bom do sereia é ser o mais próximo do mar e bem isolado da casa principal, onde fica o restaurante.

O que fazer

No primeiro dia marcamos um passeio de jangada com Seu Tino, uma figura, que adora contar histórias e explicar tudo sobre a sua terra. Foi lindo! O horário depende da maré.

No outro dia marcamos o passeio do peixe-boi, mais caro e mais organizado, porém não tão legal, se é que se pode comparar. Ficamos numa jangada parada observando o peixe no rio, onde existe um projeto de preservação da espécie. Depois fomos conhecer a praia do Toque. Achei mais bonita que a do Patacho, com areia branca e águas muito claras, onde conseguimos ir a pé até piscinas naturais na maré baixa. Almoçamos num restaurante maravilhoso: No quintal. Foi o melhor peixe que comi na viagem. Faça reserva antes.

No terceiro dia já tínhamos que partir para o próximo destino, mas deu uma vontade de ficar mais um pouquinho… Acabamos vendo o peixe-boi na praia, agarrado à jangada (eles gostam muito das jangadas, o que até dificulta um pouco para os jangadeiros porque eles vão atrás durante os passeios e podem ficar presos por causa da maré). Muito melhor ver assim, de pertinho, na natureza, sem qualquer controle imposto pelo homem.

Estou com vontade de voltar muito em breve e ficar somente nessa posada por umas 5 noites, já é tempo suficiente para se desconectar e desacelerar. Acreditam que até voltei com sotaque? rsrsrs

Pousada Patacho

Endereço: Rota Ecológica, sem número, Porto de Pedras
Capacidade: nove quartos
Email: mensagens@pousadapatacho.com.br
Quarto: de 500 a 710 reais (em 2014) duas estádias mínimo
Pagamento: débito, depósito no Itaú ou cheque
Telefones: 55 82 3298-1253 ou 55 82 9326-1424

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *