Lisboa na Mesa: “Clube de Jornalistas”, uma cozinha de pessoas

  • "Clube de Jornalista", cozinha provocadora e vinhos memoráveis!
  • Costela de borrego e mais nada (para comer com as mãos)
  • Uma amostra da seleção dos vinhos da noite.
  • O cru e o cozido: magret de pato levemente fumado, aipo bola, cogumelos, maçã e couve flor
  • Bruno com parte da equipe do restaurante
  • Creme de milho e milho frito com chouriço
  • Polvo, purê de batata doce e cebolinhos
  • Porco, feijão fradinho, couve, maçã, bacon e farofa
  • Sobremesa: coisas doces

English Version in the end of this post.

“O mundo de dentro da gente é maior que o mundo de fora da gente.”

ANDRÉ ABUJAMRA. Imaginação.

Bruno Moreira-Leite e Raphaella Perlingeiro

O título acima pode parecer estranho, mas reflete a filosofia do chef Ivan Fernandes: como dito a nós, ele está preocupado com o conteúdo humano, no que diz respeito ao seu staff e aos clientes. Isso significa que mais do que ficar explicando, de maneira pedante, cada ingrediente, a origem destes e as várias técnicas de preparo executadas, o cozinheiro acha que o importante para os comensais é aproveitar a experiência; e foi esse o clima que pautou a nossa visita ao Clube de Jornalistas.

Antes mesmo de chegar à mesa, uma imagem nos chamou a atenção: logo na porta do lavatório, indicando a entrada, uma reprodução da “La Fontaine”, obra de Marcel Duchamp. Esse acontecimento foi um marco no mundo da arte, levando vários artistas e pensadores a questionar quais seriam os seus limites. Poderíamos considerar esse acaso uma mensagem subliminar? Será que a noite seria pautada por um certo espírito transgressor?

O chef gosta de provocar, esse é definitivamente o seu estilo de cozinha. A experiência completa durou mais de quatro horas e envolveu, entre mais altos do que baixos, a degustação de vários pratos e bebidas. Agora, o que mais nos impressionou, nessa noite invulgar, foi quando a provocação cedeu lugar à memória afetiva. Tanto a releitura da “moqueca em forma de risoto”, quanto o prato inspirado em sua namorada (“polvo com batata doce”), foram de longe os melhores da noite. Vale acrescentar, que adoramos comer as “costelinhas de borrego” com as próprias mãos, não tanto uma transgressão e sim um resgate do lúdico e dos velhos hábitos alimentares.

A harmonização feita com rótulos portugueses foi arrebatadora. O sommelier José Fernando Caetano fez um verdadeiro passeio pelo terroir local, nos oferecendo vinhos brancos, tintos e um espumante. As bebidas propostas foram do mineral das videiras cultivadas à beira do mar, o sauvignon blanc do Casal Santa Maria, ao imortal Pegos Claros, um vinho com quase vinte anos de vida e ainda muito fôlego para envelhecer.

Se você é uma pessoa aberta a novas experiências, com o espírito jovem e empreendedor, certamente vai adorar o Clube de Jornalistas.

Pratos

  1. Couvert
  2. Ceviche de carapau, pipoca picante, vinagrete de manga e ovas
  3. O cru e o cozido: magret de pato levemente fumado, aipo bola, cogumelos, maçã e couve flor
  4. Creme de milho e milho frito com chouriço
  5. Risoto de moqueca de camarões
  6. Bolinho de arroz (em mãos)
  7. Polvo em alecrim, purê de batata doce e cebolete
  8. Lombinho de porco preto trufado e um refogado de feijão frade e maçã
  9. Costela de borrego e mais nada (para comer com as mãos)
  10. Sobremesa: “Coisas Doces”

Vinhos

  1. Espumante
  2. Casal Santa Maria, sauvignon blanc, 2013
  3. Pedro Milanos, 2013
  4. Pegos Claros, 1996
  5. Quinta de Pancas, touriga nacional, 1998

Digestivos

  1. Caves S. João, aguardente vínica velha
  2. Palácio da Brejoeira, aguardente bagaceira
  3. The Kraken, black spiced rum

Curiosidade: o chef foi músico e historiador, sendo o seu trompetista favorito o Wylton Moralis, o mesmo que ilustra esse post.

Ponto Alto: o “risoto de moqueca” na opinião do Bruno, o “polvo com batata doce“, segundo a Raphaella, e a harmonização muito feliz do sommelier, dessa vez um consenso.

Ponto Baixo: algumas transgressões, como o prato “o cru e o cozido” ou o “bolinho de arroz”, entregue diretamente em mãos, que não acrescentaram muito ao momento.

Restaurante Clube de Jornalistas

Endereço: Rua das Trinas 129, Lisboa
Telefone: 35 1 213977138
Horário: seg-sab 12h às 15h e 19h30 às 23h
Custo: +/- 30 euros

Essa experiência foi apoiada pelo Restaurante Clube de Jornalistas em Lisboa.

————————–

Lisbon is served: Clube de Jornalistas – a kitchen made of people

“Our inside world is much bigger than the outside”
ANDRÉ ABUJAMRA. Imagination (Imaginação)

Bruno Moreira-Leite and Raphaella Perlingeiro

The title above may sound strange, but it reflects the philosophy of Chef Ivan Fernandes. As we were told, he is worried about the human element when thinking about his staff as well as his clients. That means more than just giving pedantic explanations about each ingredient, their origins and the cooking techniques he uses. In his view, the most important for the clients is to enjoy the experience and that was the mood that marked our visit.

Even before we arrived at our table, something immediately caught our attention: At the lavatory door, indicating the entry, there was a copy of Marcel Duchamp’s La Fontaine. The work marked a turning point in the Art world, leading many artists and intelectuals to question their own limits. Could we take that as a subtle message? Would a daring and transgressing spirit mark our night?

The Chef likes to tease and is definitely his style. The full experience lasted over 4 hours and included, with more highs than lows, the tasting of several courses and drinks. Now, what impressed us the most in this unique evening was the provocation losing its position to emotive memory. His version of “moqueca em forma de risotto” (a fish stew risotto with coconuts and shrimp) and the course inspired in his girlfriend (octopus and sweet potatos) were both by far the best we had. It is worth to mention that we loved eating the “costelinhas de borrego” (lamb ribs) with our hands. Not so much for the transgression of the act though, but more for the return to ludic and old habits.

The harmonization made with Portuguese wines was perfect. The sommelier José Fernando Caetano gave us a real ride through the local terroir, offering white, red and sparkling wines. The wines went from the mineral taste of plantations by the sea (the sauvignon blanc of “Casal Santa Maria”) to the immortal “Pegos Claros”, a 20 years old wine with a lot of potential to grow even older.

If you are open to new experiences and has a young maverick spirit, you will certainly love the Clube de Jornalistas.

Courses

– Couvert/Starters
– Horse Mackerel Ceviche, spicy popcorn, mango and roes vinaigrette
– Raw and cooked: Lightly smoked Duck Magret, celeriac, mushrooms, apple and cauliflower
– Corn cream and fried corn with blood sausage
– Fish stew risotto
– Shrimp stew risotto
– Rice cakes (to eat with your hands)
– Rosemary octopus, mashed sweet potatoes and shallots
– Black pig tenderloin with truffles and braised cowpeas with apples
– Lamb ribs – and nothing more (also to eat with your hands)

Desert: “Coisas Doces” (several assorted mini-sweets)

Wines
– Sparkling wine
– Casal Santa Maria, sauvignon blanc, 2013
– Pedro Milanos, 2013
– Pegos Claros, 1996
– Quinta de Pancas, touriga nacional, 1998

After-dinner drinks

– Caves S. João, aged wine brandy
– Palácio da Brejoeira, grape marc spirit
– The Kraken, black spiced rum

Interesting: The Chef was a musician and historian. His favorite trumpet player was Wylton Moralis, the same in the video we brought above.

High: The “risoto de moqueca” (Fish stew risotto) in Bruno’s opinion and the “polvo com batata doce” (Rosemary octopus, mashed sweet potatoes and shallots) according to Raphaella. Also, the outstanding harmonization was a high point – a mutual agreement this time.
Low: Some of the “transgressions” like the “o cru e o cozido” (raw and cooked) and the “bolinho de arroz” (rice cakes), delivered direct to our hands, which were not really adding much to the experience.

Restaurante Clube de Jornalistas

Address: Rua das Trinas 129, Lisboa
Phone: 35 1 213977138
Time: seg-sab 12h às 15h e 19h30 às 23h
Cost: +/- 30 Euros (in 2015)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *