Aulas de Culinária na Le Cordon Bleu em Paris: hora-a-hora

  • le Cordon Bleu em Paris
    Chef Daniel Walter, o mais fofo de todos os tempos.
  • Uma das aulas feitas na escola "Le Cordon Bleu"
    Uma das aulas feitas na escola "Le Cordon Bleu"
  • Le Cordon Bleu em Paris
    Resultado da primeira aula no Le Cordon Bleu!

Le Cordon Bleu em Paris

Você quer transformar a sua viagem em oportunidade de aprender mais sobre algo que ama fazer nas suas horas livres? Se estiver indo para Paris e ama cozinhar, esta é uma experiência inesquecível! E bem mais viável do que imagina.

A escola Le Cordon Bleu em Paris oferece durante o ano todo os chamados ateliers culinaires. São cursos/aulas de 3, 6 horas e, às vezes, de uma semana. Os de 3 horas (como o “Segredos do Macaron”) são ótimos para quem quer ter apenas uma apresentação. Já os cursos de 6 horas exigem mais disposição física e mental.

Deixo aqui um hora-a-hora do meu primeiro dia na Le Cordon Bleu. Foi um curso de 6 horas. Bem cansativo, mas recompensador! Minha esperança é que, vendo essa agenda, você se sinta instigada a experimentar um dos cursos. Que tal?

Para sentir cheiro de Paris com chocolate 😉

9h: acordo (o que é sempre uma batalha) e já começo a me arrumar para sair. Só marquei cursos que começam às 12h30 – mas existem cursos na parte da manhã e no início da noite.

11h: saio, com o café-da-manhã já tomado. Objetivo: pegar o metrô. Pode parecer bobagem, mas a primeira ida ao curso me deixou muito nervosa. Como sempre, fico tensa com o translado. O metrô de Paris é bem fácil de dominar, mas… Qual conexão devo fazer? Será que vou me perder quando sair da estação (na Vaugirad)? Quanto tempo vou levar?

11h30: cheguei! Primeiro desafio superado. A escola está cheia de gente. Muito intimidada. Fingindo ser confiante e pensando: “por que fui inventar de fazer curso, meu Deus?” O lobby é pequeno. Dividido em três ambientes. No primeiro tem uma fila que dá para um guichê. “Vou ficar aqui!” Digo que vim para o curso de Pâte a choux. Mostro o papel da inscrição para não ter erro.

11h45: a recepcionista me avisa para deixar o casaco e a bolsa em uma pequena sala que ficará trancada. Pego minha máquina de foto, recebo uma sacola com a receita, um avental, um pano, uma pasta e caneta. Alunos de avental passam estressados de um lado para o outro, mas alguns sorriem. Eu penso: “Será que são brasileiros?”

12h10: somos encaminhados para um segundo ambiente. Esperamos vendo os produtos da escola. Marketing é tudo, não?

12h30: a aula começa com uma apresentação do Chef Daniel Walter. Logo, toda pressão começa a dissipar. Ele fala em francês e, em seguida, uma chef-assistente começa a traduzir para o inglês. O discurso é para que aquele momento seja agradável; de aprendizagem com lazer; para não nos preocuparmos se seremos os melhores ou os piores. O objetivo é descobrir! Tudo que precisava ouvir. Ufa!
A partir daí é só entrega. O Chef vai explicando o que fará, e nós nos enfileiramos em uma grande mesa, numa sala cheia de apetrechos. Vamos anotando e repetindo. Sempre que alguém tem alguma dificuldade uma das assistente corre para ajudar. O meu problema é bater claras em neve. Haja força! Pensamento: como amo minha batedeira!

Aviso: reparo que tem gente que não anota nada. É praticamente impossível repetir a receita sem fazer anotações. Não cometa esse erro.

Aviso 2.: as assistentes e a intérprete vão fazendo a receita junto com a gente, em uma velocidade mil vezes maior, claro.

15h: uma pequena pausa, com biscoitos feitos na escola e suco de laranja. Tiramos fotos, conversamos com o chef. Ele tira dúvidas específicas, conta um pouco sobre a história do tema. Ele é um amor de pessoa!

15h15: recomeçamos a aula. O cheiro das éclairs invadindo a sala. Uma loucura! O corpo já está um cansaço só. Os pés doendo e tudo o que quero é uma cadeira, mas precisamos fazer o fondant! Reparo em duas coreanas no grupo. Elas não falam uma palavra de francês, ou inglês! A equipe da escola é muito paciente mesmo.

17h50: A aula vai terminando. Recebemos caixas para transportar nossa arte. Tiramos fotos da turma, dos resultados. Pegamos nossos casacos. As coreanas oferecem o resultado delas, mas ninguém quer levar. Quase levo, mas fico com vergonha. Como elas conseguiram deixar aquele Paris-Brest é um mistério para mim. Lembro da Danuza Leão dizendo: “na vida a gente tem que escolher, ou a gente come ou é feliz!” Eu estou arrasada e feliz.

18h30: chego no apartamento. É preciso me reconstruir. Quanta olheira, que cabelo?! Olho para as caixas cheias de doces. Estou me sentindo uma vencedora. Não tenho forças para escrever post. Amanhã!

19h30: já estou distribuindo o resultado para meus amigos. Tem coisa melhor?

Le Cordon Bleu em Paris

Ateliês Culinários

Endereço: 8 Rue Léon Delhomme, Paris, 75015
Metrô: Vaugirad ou Convention (linha 12)
Preço: a partir de 110 euros (em 2015)

Gostou da ideia? Que tal a gente planejar um roteiro para Paris ou outra capital européia incluindo experiências gastronômicas selecionadas a partir do seu gosto e expectativas pessoais? Fala comigo por aqui, e já começamos a planejar. A sua viagem merece ser mais do que alguns dias de férias.

3 comentários

  1. Angela de Assis disse:

    Deve ter sido uma maravilha.
    Para mim, são coisas que gosto e muito…. Paris, doces, aprendizado….. um capítulo a mais no seu livro…. ou no seu blog…..rs
    Bjs

  2. Lulu Aché disse:

    Quero tanto!!! Volta logo. E com disposição para fazer macarron!

    1. Lu,
      Pode deixar que vou ter que tentar ainda muitas vezes. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *