Como Visitar o Hôtel de Ville em Paris

  • Hotel de Ville em Paris
    Hôtel de Ville (exterior) Foto: Raphaella Perlingeiro
  • Foto: "O Beijo no Hôtel de Ville" de Robert Doisneau
  • Hotel de Ville em Paris
    Salle des Fêtes - Hôtel de Ville (interior) Foto: Raphaella Perlingeiro

Hôtel de Ville em Paris

Ponto alto: Salle des fêtes
Ponto baixo: a dificuldade para se inscrever
Categoria pessoal: visitas inesquecíveis
Para entrar no clima: Jean Baptiste Lully – L’Orchestre du Roi Soleil

Tenho a impressão de que 90% dos turistas que vão a Paris apenas passam na frente do Hôtel de Ville – só isso já vale a viagem, diga-se de passagem. Mas por que não tentar visitá-lo por dentro?

Além de ser referência de onde casais, ano após anos, vão fazer suas versões fotográficas da famosa foto de Robert Doisneau: “O Beijo do Hôtel de Ville” (pagando aquele mico que dá toda graça e boas lembranças a viagem), o Hôtel de Ville é o nome que os franceses dão para o edifício sede da prefeitura da cidade.

Depois do incêndio de 1871, durante a Comuna de Paris, o prédio foi reconstruído mantendo a fachada original iniciada do reinado de Francisco I, mas com o interior modificado à moda luxuosa e ostentosa do século XIX.

Normalmente não é possível conhecer o interior do edifício, mas eu tenho uns segredinhos para te contar!

Se você estiver indo a Paris pela segunda vez, ou até se nunca foi, mas quer fazer algo diferente do clássico, que tal tentar uma visita guiada para conhecer o interior da câmara municipal da cidade: o Hôtel de Ville?

Eu fui e achei incrível!

Nós éramos três: uma falava um francês perfeito, tinha eu, que dou uma enrolada, e a terceira que na época só sabia dizer merci. Três níveis de compreensão da língua e todas aproveitaram a visita. Por isso repito, ainda que você não compreenda a língua: vá!

Não tenha medo do desafio! Nós encaramos como uma oportunidade de imersão linguística e foi um deleite. Mesmo sem entender tudo que a guia explicou, aproveitamos a oportunidade de conhecer a arquitetura do local por um outro ângulo. Depois foi só juntar os pontos, ler algumas informações sobre o local “et voilà!

Para acostumar o ouvido e dar vontade de visitar 😉

Informações úteis:

1) Essas visitas acontecem semanalmente, somente no verão (mas sempre vale perguntar, eu fui em novembro). São grupos de 30 pessoas e é preciso fazer uma inscrição prévia.

2) Você deve se dirigir ao 29, Rue de Rivoli (é a lateral do Hôtel). Lá você encontra um lobby cheio de informações sobre o Hôtel e programas interessantes.  Pode pedir informações lá que eles são bem simpáticos.

3) Pergunte sobre a visita guiada privada, eles vão pedir seu nome, fazer sua inscrição e dar as informações sobre hora e local de entrada.

4) Pronto! É só voltar no dia marcado, e não atrasar, porque eles não esperam (geralmente, é na 5, Rue Lobau, a parte de trás do Hôtel).

Visite sabendo…

– A praça na frente do prédio do Hôtel já era usada desde a Idade Média como local de encontro para execuções públicas, celebrações, rebeliões e as famosas greves. Era chamada Place de Grève, daí o nome “greve”.

– O Palácio foi palco de eventos fundamentais na história da França. Robespierre ironicamente encarcerado com um tiro na mandíbula, aguardando sua própria execução. A proclamação da Terceira República. O famoso discurso de Jacque Chirac. Tudo ocorreu lá.

– Antes de se tornar um palácio luxuoso durante o reinado de Francisco I, o Hôtel de Ville era apenas uma espécie de porto fluvial com a Maison dês Piliers (Casa dos Pilares) comprada por Étienne Marcel, chefe da municipalidade (preboste) de Paris no reinado de João, o bom, lá pelos idos do século XIV.

Para saber mais:

A Vanessa Crouzet do blog “Desvendando Paris” também escreveu um post sobre o Hôtel de Ville qua vale a pena a leitura! Veja aqui.

3 comentários

  1. ofélia lopes disse:

    Não posso perder esse Hotel de Ville na próxima ida a Paris. Edifício belíssimo e interior idem. O salon de fêtes et receptions officiels é deslumbrante! A biblioteca com 600.000 documentos, os candeeiros, o chão riquíssimo, um pedaço de Versalles em Paris.

  2. Va disse:

    Rapha vc escreveu outro post sobre o Hôtel de Ville e não disse nada? 😛
    Publicamos quase na mesma época. risos
    Tava lendo o de Malta agora 🙂

    1. Vá, Esse é o único que tenho escrito. 🙂 Vou colocar o link do seu post para quem quiser ver! bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *